quinta-feira, 22 de março de 2012

Humanidade


O homem da terra,a terra consome
Os sonhos e vontades de um peito insone
A vida no mundo,a vida na guerra
Natureza desnaturalizada,na alma eterna
Correndo do tempo,da civilização moderna
o menino que nasce o velho que enterra
Perdendo a vida durante o processo
"Sem trabalho,não existe progresso"
Mas sem liberdade não existe paz
Adivinhe o que o homem valoriza mais
O suor cansado do corpo martirizado
A mão cheia de calos
A vida em fúria e descontamento
Reclamando e rinchando como um jumento
Mendigando o pouco em seu leito de morte
Pedindo a deus por um pouco de sorte
Enterrado vivo,sem direito a protesto
Vivendo sem causa e na causa imerso
Ser humano sem direito
Limitado e sem jeito
Engaiolado,escravizado
Condenado a viver
Sem vontade e sem poder
Enganado e usado
De fora pra dentro de dentro pra fora
Afugentando a esperança,esbanjando ignorância.
Quantos messias precisaremos ainda crucificar 
para que a humanidade comece a enxergar?



Nenhum comentário:

Postar um comentário